A missão do Círculo no mundo

Talvez já tenha se perguntado (ou não) porque é que veio parar aqui e o que te trouxe até o Círculo. Com certeza, em algum momento você entrou em contato com um conhecimento e essa verdade te transformou. Provavelmente antes disso, buscou respostas para a sua vida e o significado dela em escolas, igrejas, centros, meditações…E, em determinado ponto, a nossa proposta ressoou e fez sentido para você.

Com o passar do tempo, foi possível perceber o óbvio por trás dos bastidores da vida: a história que nos contaram não faz sentido. Tem muita coisa “por trás” do que estudamos nos livros, muita coisa que a ciência não explora porque não casa com os padrões há muito estabelecidos e vemos tudo isso ruir em nossa frente, justamente por notarmos um caminho diferente, por estarmos dispostos a recomeçar essa jornada, ressignificando as perspectivas de vida após a morte.

Não basta só acessar essa verdade, é preciso estar aberto à transformação que ela vai gerar. E, como qualquer outra mudança, esse não é um processo trivial. Mudar dói, é incômodo e pressupõe uma ação, uma ou várias tomadas de decisão. Depois que você se permite, que se dispõe a fazer diferente, experimenta sensações nunca antes vividas.

Não é apenas sobre perder o medo da morte e da vida, mas sim de ter a alegria e a felicidade em viver, em ressignificar as suas atitudes e pensamentos, assumir quem somos e o que queremos com muita clareza de sentimento. É sentir.

Por todo esse caminhar de aprendizado, por já ter passado por esse processo é que hoje você está pronto para acessar o conteúdo que disponibilizamos no Círculo. Pessoas que ainda não trilharam essa jornada e não conectaram com a egrégora podem se assustar, não dar conta e achar que estamos vivendo num mundo imaginário. Por isso, repetimos várias vezes que o que acontece no Círculo deve permanecer no Círculo.

Longe de nós querer bloquear o conhecimento transmitido, como se fosse uma espécie de seita. O objetivo não é esse. Você pode sim, comentar sobre a transformação que acontece na sua vida e disseminar a nossa plataforma. O que estamos destacando aqui é a responsabilidade sobre o conhecimento acessado. Por mais que não pareça, tratamos de conteúdos extremamente significativos e densos e tudo o que podemos fazer é provocar as pessoas a pensarem.

É muito interessante ver o crescimento da plataforma, ver mais e mais pessoas comprometidas com a reforma íntima e com o projeto de transição planetária. A cada dia que passa, entendemos um pouquinho sobre a nossa missão enquanto grupo: trazer conhecimento, porque ele gera um movimento de reforma com expressão externa de transformação.

A mediunidade é, por sua vez, a chave desse processo de transformação planetária. O desenvolvimento das habilidade de contato e percepção das outras realidades é fundamental para a transição. É onde acontece o intercâmbio entre as dimensões: esse é o dínamo da mudança. Nós entramos no movimento quando nos conectamos.

“A mediunidade é o selo da transição planetária.”

Uma das nossas propostas é despertar as habilidades parapsicológicas em nossos membros, mas não só. Queremos ir além. O que nos interessa é o intercâmbio e o acesso a outras dimensões que o desenvolvimento dessas habilidades vai nos proporcionar. Interessa-nos, sobretudo, a experiência dessa realidade.

E deixe de lado qualquer preconceito que você possa ter, mas quando o fenômeno parapsicológico vem associado desse intercâmbio de realidades, ele fica mediúnico e essa é a cereja do bolo (ou o brigadeiro. Sejamos justos, cereja nem é tão boa assim – risos).

A nossa vivência com essa realidade mediúnica deve ser cada vez mais forte, mais intensa e provavelmente nós seremos as pessoas chamadas a dar o testemunho sobre essas experiências. Serão várias as oportunidades que surgirão para fazer da nossa fala um propagador do movimento.

Entenda: você é protagonista e agente da transição planetária.

Não precisa se assustar com o tamanho da missão. Pode ter certeza de que em alguma esfera, em alguma realidade, assim como nós, você escolheu participar desse processo e ser um ventilador de ideias, ser um propagador da transição planetária. Claro que isso não significa que vai sair por aí com a “Bíblia da Transição”, parar numa esquina e pregar sobre a causa. É a sua reforma íntima, a sua transformação pessoal que vai transformar. Aquele velho ditado nunca esteve tão certo: “seja a mudança que você quer ver no mundo”.

Toda a experiência com a verdade é uma experiência do amor. Nós vamos fazer uma revolução silenciosa, baseada no amor, porque é ele que reverbera, que é sentido. É uma revolução baseada no sentir.

O influxo do amor é capaz de produzir felicidade e isso não tem nem como explicar. Essa felicidade poderá ser percebida onde quer que você vá, onde quer que você esteja. É essa felicidade que você vai emanar. Vocês serão embaixadores dessa verdade, desse amor, do Círculo.

Que comece a sua transformação, com profunda felicidade!

Referência:

Documentário: Quem somos nós? https://www.youtube.com/watch?v=EJIYrIWJ76o

Provocações

  • Como você entende o seu papel na transformação planetária?
  • O que você entende como sendo a sua missão do Círculo?
  • Está preparado para ser um propagador da transição?
  • Vamos lá?

Artigos relacionados

Respostas

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *