foi adicionado ao seu carrinho de compras.

Carrinho

“Pois a Fé que não desafia o ridículo dos homens não é verdadeira fé.”
José, Espírito Protetor – Bordeaux, 1862

Diante dos desafios que temos enfrentado de peito aberto para realização do XII Encontro Nacional dos Amigos de Chico Xavier em Jundiaí, proponho uma reflexão sobre a chance que temos de criar juntos, com nossos eventos, atmosferas oportunas de luz, capazes de despertar os espíritos encarnados para o seu real propósito em nosso momento histórico de transição.

“A fé, divina inspiração de Deus, desperta todos os sentimentos que conduzem o homem ao bem: É a base da regeneração“, compartilha o espírito protetor José, na cidade de Bordeaux, em 1862. “A fé sincera é dominadora e contagiosa. Comunica-se aos que não a possuíam e nem mesmo desejariam possuí-la; encontra palavras persuasivas, que penetram na alma, enquanto a fé aparente só tem palavras sonoras, que produzem o frio e a indiferença. Pregai pelo exemplo da vossa fé, para transmiti-la aos homens; pregai pelo exemplo de vossas obras, para que vejam o mérito da fé; pregai pela vossa inabalável esperança, para que vejam a confiança que fortifica e estimula a enfrentar todas as vicissitudes da vida“.

Muitas vezes, quando olhamos para as nossas limitações, dificilmente temos fé em nós mesmos e em toda função que devemos exercer no palco da transição planetária. Por isso, o nosso movimento encontra na comunidade sua compensação mais perfeita, segundo a Lei da Fraternidade. Muitas vezes, como Paulo, vemos o bem que queremos fazer, e acabamos fazendo o mal que não queremos fazer, e o dilema dessa polaridade consciencial faz latente em nós um senso de incapacidade, limitação e culpa por nossas fraquezas. Mas, quando somos capazes de iluminar as nossas trevas e abraçar as nossas limitações, nos tornamos seres mais integrados consigo mesmos e descobrimos que nossas limitações são o espaço ideal para a manifestação das virtudes dos nossos amigos de ideal. O que falta em mim gera um espaço de expressão para o potencial do outro. E, nesta comum-unidade do movimento, vemos a plenitude do TODO emergir na comunidade que se decide a realizar, unida, um projeto de iluminação e despertar das consciências.

O processo dos eventos e projetos que empreendemos juntos escancaram as nossas fraquezas pessoais e ressaltam nossas fortalezas enquanto grupo, trazendo a certeza de que, quando reconhecemos o mesmo objetivo ideal, nossas diferenças nos fazem complementares. E sabemos assim que precisamos, cada vez mais, criar atmosferas oportunas de luz, onde nossa esperança e fraternidade sejam propagadas, contagiando mais e mais pessoas. Quanto mais pessoas se reconhecerem parte de um movimento em prol da Nova Terra, mais e mais seremos completos no que nos falta, integrados a um mesmo senso de pertencimento-missão. Não podemos perder oportunidades de criar esses espaços, pois a nossa consciência, ainda limitada ao espaço tempo em que nos contemos, dificilmente alcança todas as dimensões do impacto transformador que juntos podemos provocar.

Abraço grande,

Sempre avanti! Che questo è lá cosa piú importante!

Juliano Pozati

Inspirou-se?

Então arregace as mangas e vamos aos cliques. Abaixo alguns links úteis:

Juliano Pozati

Quem escreveu Juliano Pozati

JULIANO POZATI É ESCRITOR, DOCUMENTARISTA E ENTUSIASTA DE NOVAS IDEIAS QUE INSPIREM A SUPERAÇÃO DE PARADIGMAS OBSOLETOS NAS ÁREAS DE CIÊNCIA, FILOSOFIA, ESPIRITUALIDADE E EXOCONSCIÊNCIA.

Mais posts de Juliano Pozati

Participe da discussão sobre esta aula 4 Comentários

Faça seu comentário abaixo!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.