foi adicionado ao seu carrinho de compras.

Carrinho

Análise sobre este termo estranho que citamos em algumas aulas do Círculo.

Em algumas aulas do Círculo, citamos o termo psicóide. Ele pode parecer meio estranho no início, mas achamos pertinente colocar aqui para provocar a reflexão.

Psicóide é algo semelhante à psique, quase psíquico (mas não é nenhum desses dois por completo).

Com este termo Jung conota a profundidade do inconsciente coletivo e dos seus conteúdos (os arquétipos), que não é passível de ser abarcada pela imaginação.

Parece-me provável que a verdadeira natureza do arquétipo não possa ser levada à consciência, isto é, seja transcendente, motivo pela qual eu a defino ‘psicóide’”.

Para Jung, psicóide passou a ser um termo que descreve processos que são quase psíquicos, mas não o são propriamente. Os processos psicóides situam-se entre a energia vital somática e os puros processos corporais, por um lado, e os verdadeiros processos psíquicos, por outro.

“O número de frequências sonoras perceptíveis ao ouvido humano varia de 20 a 20.000 por segundo, e o comprimento de ondas luminosas visíveis vai de 7.700 a 3.900 angströms. Através dessa analogia, podemos imaginar facilmente que existe um limiar inferior e um limiar superior para os processos psíquicos e que, por conseguinte, a consciência, que é o sistema perceptivo por excelência, pode ser comparada à escala de percepção sensorial do som e da luz, tendo, como estes, um limite superior e um inferior. Acho que poderia ampliar essa comparação à psique em geral, o que seria exequível se nas duas extremidades da escala psíquica existissem processos psicóides.” – O.C. Vol. 8, parágrafo 367

Eu entenderia esse ponto como um excelente gancho para falarmos sobre mediunidade, já que psicóide é considerado como algo poroso, por onde os conteúdos “do além” penetram nossa consciência. Será que então podemos conectá-lo à pineal? Seria esse o indício de contato com a espiritualidade? Deixo aqui a reflexão e aguardo seus comentários!

Redação

Quem escreveu Redação

Mais posts de Redação

Participe da discussão sobre esta aula Um comentário

  • patysaldanha21 disse:

    Oi Iasmine, pelo que entendi, Psicóide são fatos ou pensamentos que não são detectados pela consciência. Ficam nos limites de consciente. Enquanto que a mediunidade nem sempre é inconsciente. Há médiuns que fazem contato, conscientemente, com o desconhecido, e o reportam, o retransmitem. Há outros casos em que o médium fica totalmente inconsciente no contato, não tem lembrança do que ouve ou fala. É como se uma outra consciência utilizasse as habilidades físicas do médium, para se expressar. Então, no primeiro caso, não seria uma experiência psicóide, mas no segundo sim.

Faça seu comentário abaixo!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.