O que você está negando em você?

Existir e não apenas sobreviver dá trabalho. Requer coragem.

Vamos falar sobre procrastinação. A famosa mania de ficar barrigando as coisas. É impressionante o número de pessoas apagando incêndio em todas as áreas da vida. Todo estrupiado. Mas um incêndio não começa de repente. O fogo não começa grande. Só que a gente ignora a fumaça que a vida vai levantando. Desconhecemos o que sentimos. Ignoramos o que aspiramos.

E não estou aqui querendo cagar regra. Estou falando de um lugar de quem já se f… muito. Cada um sabe os reais sentimentos que está varrendo para baixo do tapete. Mas para dominar um sentimento você tem que dar nome para ele.

Fugimos do que sentimos.

Exemplo: Casamento. Tenho dois casamentos e meio terminados. Eu vivi incêndios por ignorar ao que eu sentia, porque tinha medo de dar nome. Eu fugia.

E essas coisas que a gente não dá nome se transformam em um pilha de bosta de cavalo no seu criado mudo. Fede. Incomoda. Tira seu sono. E começa a afetar outras áreas da sua vida. Porque a gente tem a ilusão de que o que está dentro da nossa cabeça não tem consequências sociais.

Mas sabendo desse processo, você vai realmente continuar fazendo isso? A gente só domina o que gente conhece. E é dominado pelo que ignora.

Fugimos do que queremos ser.

A gente se boicota nos principais talentos, porque no momento que eu assumo, a vida vai me dar um xeque-mate para eu agir de acordo.

Exemplo: Assumi que sou um comunicador e que falo bem apenas há uns três ou quatro anos. Descobri isso olhando meu mapa astral. Todos os meus planetas, estrelas e constelações estão voltados para a vida pública, para ser comunicador. Foi um tapa na minha cara.

Vitimização e autoboicote não deixam você exercer a sua cidadania espiritual.  Na lógica de pensamento aqui do Círculo, de que conhecimento gera movimento e transformação, trago uma ferramenta, um exercício mental para agir composto de cinco perguntas.

Reconhecer

  1. Quais são os sentimentos dos quais estou fugindo? (seja verdadeiro, coloque no papel tudo que vier, tira da cabeça, dê nome)
  2. Quem eu realmente quero ser?(descreva essa pessoa sem juízo de valor)
  3. O que eu realmente quero fazer e realizar?

Organizar

  1. Como seria se eu agisse nessa direção de assumir o que sinto, o que quero ser, e fazer os movimentos necessários para me transformar?Faça duas colunas e liste o que você ganha e o que perde com isso. Assim você vê o peso das coisas. Nada pode te impedir de ser aquilo que é!

Transmutar

  1. O que eu poderia fazer (na prática) para experimentar a nova versão de mim mesmo e ter certeza do que eu quero?

Ter clareza é um desafio muito grande. Coloque suas crises no papel e faça da sua razão um parceiro no seu projeto de vida. Tenha a liberdade de experimentar. E esquece o que os outros vão pensar!

Importante: tudo precisa ter uma data limite. Qual é a data limite para você assumir o que quer ser, fazer e realizar?

Abraço grande,

Sempre avanti! Che questo è lá cosa piú importante!

Juliano Pozati


Quer receber esses e outros conteúdos? Participe do nosso canal no Telegram: https://t.me/cocriando

Respostas