Pensamento crítico e o profissional do novo mundo

pensamento crítico

Profissionais exoconscientes e com pensamento crítico  serão a bola da vez.

Dando sequência à série sobre Soft Skills e Exoconsciência, vamos falar hoje de pensamento crítico e como ele será cada dia mais essencial para o mercado de trabalho.  Ao desenvolvermos nossa habilidade natural de sintonia, comunicação e cocriação, estamos na vanguarda. Acredito que, em 15 anos, no máximo, o mercado vai pedir profissionais exoconscientes com pensamento crítico. E quem começar a desenvolver isso hoje já domina Softs Skills de cara, porque passa a integrar a realidade existencial de quem você é.

Sempre gosto de começar pelos conceitos e trago aqui uma definição de pensamento critico muito boa do site BeTrybe:

“Capacidade intelectual de conceitualizar, aplicar, analisar, sintetizar e quantificar informações que são reunidas por meio de observações, experiências, reflexões e trocas comunicativas”.

A partir disso, o pensamento crítico pode ser dividido em duas definições principais;

1 – conjunto de informações e crenças que geram e processam habilidades diversas;

Isso reflete um filtro de realidade chamado crença, que pode ser algo que te limita ou te faz realizar. E as crenças vêm por iniciação ou por repetição. As crenças são óculos pelo qual você vê a realidade.

2 – hábito de compromisso intelectual que utilizará tais habilidades para guiar o comportamento individual;

Ou seja, um compromisso com você mesmo em começar a construir um fluxo de pensamento ativo e não passivo.  Porque sabe o que a maioria faz? Simplesmente arquiva a opinião dos outros, mas não tem pensamento crítico. Nem sempre somos estimulados a ele porque manter as pessoas estúpidas é o melhor caminho para dominar, como pode ser visto em “O Príncipe” de Maquiavel.

É como se fossemos treinados pela indústria do entretenimento, publicidade e cultura inútil para repetirmos para nós mesmos: ”mantém a cabeça baixa, faz o que estão fazendo, não inventa moda, quem pode manda, quem obedece tem juízo, para de querer ser o diferente…”

Zumbis: comunicação arquetípica da agonia existencial

E trago um exemplo de algo que faz sucesso atualmente, que são as séries de zumbis como The Walking Dead. Outro dia um amigo comentou que o objetivo do autor dessa série era uma crítica à sociedade, ou seja, os zumbis que ficam no shopping se arrastado são as pessoas da nossa sociedade que não têm pensamento critico.

E lembrei que eu já havia feito esse raciocínio. Na minha opinião, só tem uma razão para os filmes de zumbis fazerem tanto sucesso nos dias de hoje: eles são uma comunicação arquetípica da agonia existencial de seres que foram idiotizados. Sem bater de frente, mostram a agonia que é ter pensamento crítico e estar num mundo de zumbis.

Outro ponto importante, o principal diferencial das pessoas que têm pensamento crítico é que elas resolvem os problemas de forma sistêmica. E daí chegamos ao planejamento estratégico, a arte de criar futuros desejáveis, que precisa atender a três pilares:

  • Pensamento estratégico – visualiza o futuro e os passos que vai dar;
  • Visão sistêmica – o que preciso ativar de recursos na minha rede. Qual o primeiro dominó a ser derrubado;
  • Comprometimento da equipe – que as pessoas reconheçam e se identifiquem com esse pensamento e coloquem o fluxo do seu talento para a realização do planejamento.

E, para encerrar, comento quatro dicas para desenvolver o pensamento crítico, com minhas pitadas de exoconsciência:

1 – Questione-se;

Eu diria, tenha a coragem de fazer as perguntas certas que ninguém tem coragem de fazer para si mesmo. O processo de construção do conhecimento está mais no processo de fazer as perguntas certas, porque respostas encerram a construção do conhecimento. Temos que nos questionar sempre. Questionar-se é a principal força propulsora que move nossa jornada. E isso também deve ser levado para sua espiritualidade para que ela seja sadia e reverbere em outras áreas da vida.

2 – Colete informações;

A partir dos seus questionamentos, vá reunindo insights e questionando padrões. A verdade é linda, mas não está em um lugar só.

3 – Compare as informações coletadas;

A nossa busca é sempre fragmentada, pois a consciência plena não cabe nessa nossa consciência temporal.

4 – Aprenda a ouvir a opinião de outras pessoas.

Antes de criticar, refutar e jogar fora a opinião dos outros, faça o exercício de ouvir tentando se colocar no lugar dela. Essa é uma primeira semente da fraternidade. Sem empatia, a fraternidade é inviável.

O pensamento crítico que sempre se questiona, compara e está disposto a ouvir precisa ser desenvolvido a partir da segurança de uma espiritualidade madura, em que você se compreende como um ser único no universo. E percebe o quanto é bonito observar o talento único de cada pessoa, compreender cada ponto de vista.

As diferenças nos fortalecem enquanto grupo e comunidade.

Abraço grande,

Sempre avanti! Che questo è lá cosa piú importante!

Juliano Pozati


Assista o vídeo:

Gosta do formato podcast?  Segue o Spotify do Círculo

PARA ALUNOS:

Nosso curso de Perspectivas para um Novo Mundo traz mais conteúdo com as novas formas de pensar o mundo corporativo e a próxima geração engajada no mundo novo.

Respostas