foi adicionado ao seu carrinho de compras.

Carrinho

“Eu tenho desde criança abandonado o uso da carne e um dia os homens verão o assassinato dos animais da mesma forma como veem hoje o assassinato dos humanos.” – Leonardo da Vinci (1452-1519)

No Brasil, 14% da população se declara vegetariana, segundo pesquisa do IBOPE Inteligência conduzida em abril de 2018

Nas regiões metropolitanas de São Paulo, Curitiba, Recife e Rio de Janeiro este percentual sobe para 16%. A estatística representa um crescimento de 75% em relação a 2012, quando a mesma pesquisa indicou que a proporção da população brasileira nas regiões metropolitanas que se declarava vegetariana era de 8%. Hoje, isto representa quase 30 milhões de brasileiros que se declaram adeptos a esta opção alimentar – um número maior do que as populações de toda a Austrália e Nova Zelândia juntas – em um grupo que inclui cada vez mais personalidades, como Xuxa Meneghel, Júnior Lima, Tatá Werneck, Yasmin Brunet, Luisa Mell, João Gordo, Isabelle Drummond e Giulia Gayoso (tá bom, eu poderia ter dispensado essa parte. Enfim, bom para eles!)

A pesquisa do IBOPE Inteligência mostra ainda o crescimento rápido no interesse por produtos veganos (ou seja, livres de qualquer ingrediente de origem animal) na população em geral: mais da metade dos entrevistados (55%) declara que consumiria mais produtos veganos se estivessem melhor indicados na embalagem ou se tivessem o mesmo preço que os produtos que estão acostumados a consumir (60%). Nas capitais, esta porcentagem sobe para 65%.

Os dados do Google Trends mostram que o crescimento no volume de buscas pelo tema tem aumentado de duas a três vezes a cada ano, em relação ao ano anterior (crescimento anual nas buscas entre 150% e 250%), o que representa o aumento do interesse do consumidor. Este ritmo deve se manter ou acelerar nos próximos anos.

Dicionário básico

  • Vegetariano: Não consome alimento com ingrediente de origem animal, tais como carnes, ovo, leite e mel.
  • Ovolactovegetariano: Não, não é palavrão! Designa a pessoa que não consome carnes. Ovos e laticínios, in natura ou na receita de pratos, integram dieta.
  • Vegano:  Mantém dieta vegetariana e exclui o uso de produtos com componentes de origem animal, como couro e seda, e de serviços advindos do trabalho de bichos. Fonte: SVB
Dieta Pitagórica

“A soma do quadrado dos catetos é igual ao quadrado da hipotenusa”! Não! Não estou citando Mamonas Assassinas não! (risos) Na verdade, quando a gente pensa em Pitágoras não tem como não lembrar das aulas de geometria e de seu teorema “trava-língua” (risos). Mas o gênio matemático tinha outra faceta bastante interessante. Além de ser conhecido por sua habilidade com os números, os historiadores também reconhecem Pitágoras, nascido por volta de 580 a.C., como o “pai da alimentação vegetariana”.

Por quase 2500 anos, europeus e americanos chamavam aqueles que seguiam o vegetarianismo de pitagóricos. O termo vegetariano não era usado generalizadamente até a fundação da Sociedade Vegetariana Britânica, em 1847.

O argumento de Pitágoras em favor da dieta sem carne tinha três “pontas” (como um triângulo): veneração religiosa, saúde física e responsabilidade ecológica. E essas razões continuam a ser citadas hoje pelas pessoas que levam a vida sem carne. Será que podemos fazer uma releitura destes conceitos a partir de nossa compreensão atual, valendo-se ainda da boa e velha pirâmide?

Conforme nós vimos na Aula 63 do Círculo, o pensador grego teve muita influência do pensamento hermetista, conseguindo condensar no Tetraktys todas as leis herméticas num único símbolo visual.

Mercado verde, recheado de verdinhas!

Segundo empresários do setor de produtos veganos consultados pela Folha, o crescimento do mercado de produtos veganos no Brasil tem sido da ordem de 40% ao ano, apesar da crise.

O programa de certificação vegana da Sociedade Vegetariana Brasileira também é um termômetro do crescimento deste mercado. Com seis anos de existência, o certificado Selo Vegano já contempla mais de 1000 produtos de cerca de 100 marcas diferentes. A maioria das marcas são de alimentos, mas também há produtos cosméticos e de higiene. Mais informações: www.selovegano.com.br.

Uma nova geração vegetariana?

Os relatos não param de chegar. Eu particularmente ando bastante pelo Brasil dando palestras em comunidades espiritualistas, e sempre que abordo o tema, 2 ou 3 pessoas vem me contar casos para lá de curiosos de crianças que nasceram vegetarianas ou veganas, por assim dizer. Não há, absolutamente, subsídios históricos, publicitários, educacionais, sociológicos ou qualquer coisa que sustentem a inflexão com que essas crianças adotam uma postura filosófica tão convictas de seu ideal, senão a prévia elevação que seu espírito conquistou, antes da presente encarnação. Sobre isso, recomendo a leitura de Casos Europeus, de Ian Stevenson, que reúne casos de memórias pré reencarnatórias em crianças com até 9 anos de idade.

O curioso é que a postura vegetariana não está atrelada, nos dias atuais, somente aos filhos de pais de uma corrente ideológica específica, mas surge espontaneamente, de maneira “efervescente”, lembrando a psicografia de Arago que estudamos na Aula 67 – Princípio de Ritmo. A minha xará Juliana Carreiro conta um caso muito interessante que exemplifica isso no blog dela no Estadão:

“Conheço um rapazinho que vai fazer 7 anos e desde os 3 não quer mais comer carne de boi, peixe ou frango. Isso aconteceu quando ele associou que o que estava no seu prato eram animais. Sua mãe, seu pai e sua irmã mais nova comem de tudo e ele segue firme na sua postura. Quando tinha 3 anos, passeando com a mãe no supermercado ele perguntou de quais animais eram feitas as peças de carne que estava vendo. Ela respondeu que algumas eram de boi, outras de frango e outras de peixe e ele perguntou: “Quem é que vai cuidar do filhote desse papai boi?”. Essa consciência tem sido cada vez mais comum entre crianças e adolescentes.”

A causa animal e um recadinho da espiritualidade

São abatidos mais de 10 mil animais terrestres por minuto no Brasil para produzir carnes, leite e ovos. A maioria destes animais são frangos, porcos e bois – animais que têm uma complexa capacidade cognitiva e sentem dor, sofrimento e alegria da mesma forma que os cães que temos em casa. Os animais são sencientes (capazes de sofrer e sentir prazer e felicidade).

Muitas correntes espiritualistas e grandes religiões indicam a dieta vegetariana como expressão harmônica do ser humano. Emmanuel, guia espiritual do médium Chico Xavier, não deixa por menos. Na questão 129 do livro O Consolador ele diz:

“A ingestão das vísceras dos animais é um erro de enormes conseqüências, do qual derivaram numerosos vícios da nutrição humana. É de lastimar semelhante situação, mesmo porque, se o estado de materialidade da criatura exige a cooperação de determinadas vitaminas, esses valores nutritivos podem ser encontrados nos produtos de origem vegetal, sem a necessidade absoluta dos matadouros e frigoríficos.” 

“Temos de considerar, porém, a máquina econômica do interesse e da harmonia coletiva, na qual tantos operários fabricam o seu pão cotidiano. Suas peças não podem ser destituídas de um dia para o outro, sem perigos graves. Consolemo-nos com a visão do porvir, sendo justo trabalharmos, dedicadamente, pelo advento dos tempos novos em que os homens terrestres poderão dispensar da alimentação os despojos sangrentos de seus irmãos inferiores.

As ponderações de Emmanuel são muito equilibradas e sem dúvida apontam para o momento de transição que estamos vivendo. Há um mercado emergente e promissor baseado em uma nova predisposição filosófica dos consumidores, em mais ampla consciência ambiental e na sustentabilidade da raça humana no planeta Terra. A “visão do porvir” está se materializando e as empresas que estão “trabalhando dedicadamente” para oferecerem alternativas aos consumidores veggies já sabem disso.

Não sou e nem quero parecer moralista. Compreendo que cada ser humano é único em suas experiências e escolhas. Cada pessoa conhece os seus próprios tempos e momentos e isso deve ser respeitado, acima de tudo. Mas também confesso que não tenho paciência pra gente que ignora os fatos e tira sarro de quem está em outra vibe. Isso, na verdade, vale para Onívoros, Veganos, Vegetarianos e outros bichos mais. Em minha opinião e por todos os fatos que apresentei acima, o vegetarianismo e o veganismo são uma questão tendencial e sintomática do mundo novo que estamos construindo. Eu penso que viverei para ver o dia em que o consumo de animais mortos será tão “mau visto” pela sociedade como um professor fumando em sala de aula o seria nos dias atuais. 

 “Os animais do mundo existem por suas próprias razões. Não foram feitos para os seres humanos, do mesmo modo que os negros não foram feitos para os brancos, nem as mulheres para os homens.” – Alice Walker

Nossa economia já foi baseada na mão de obra escrava. Reinventou-se e sobreviveu. Nossa sociedade já considerou as mulheres como seres humanos de segunda linha. Reinventou-se e cresceu. Concluo esta reflexão parafraseando Leonardo da Vinci: no novo mundo, os homens verão o assassinato dos animais da mesma forma como veem hoje o assassinato dos humanos. Estamos nos reinventando novamente. Viva o novo tempo! Bem vindo ao tempo da Regeneração!

Abraço grande,
Sempre avanti! Che questo è lá cosa piú importante!

Juliano Pozati

Aulas relacionadas no Círculo
Referências legais pra quem quer saber mais

Abolitionist Approach

Blog de Gary Francione, advogado, professor universitário e principal autor abolicionista da atualidade. ‘Traduções autorizadas de um conjunto de textos de Gary L. Francione que explicam, na teoria e na prática, a abordagem abolicionista dos direitos animais.’
www.abolitionistapproach.com

Animal Person

Blog de Mary Martin, lingüista norte-americana. Seu objetivo, nas suas próprias palavras, é ‘desconstruir a linguagem, a ética e a economia da nossa relação com animais não-humanos’.
www.animalperson.net

Empatia y Etica

Blog vegano anarquista de Barcelona.
www.veganosenlucha.blogspot.com

Invisible Voices

Blog que aborda temas de interesse geral, relacionados ao veganismo e direitos animais.
invisiblevoices.wordpress.com

Peaceful Prairie Sanctuary

Blog de um santuário norte-americano para animais resgatados da indústria da exploração animal. Nele podemos constatar como as reformas bem-estaristas fazem pouco ou nada em favor dos animais criados e mortos por essa indústria.
peacefulprairie.blogspot.com

Seres Livres

Blog que se propõe a difundir a filosofia abolicionista dos direitos animais e responder às objeções especistas a esta filosofia a partir de reflexões sobre as implicações éticas, políticas, filosóficas e sociais da adoção do estilo de vida vegano.
sereslivres.blogspot.com

Société Vegan

Blog francês com informações variadas sobre veganismo, desde produtos até textos.
societe-vegan.blogspot.com

Vegan Abolitionist

Blog que apresenta uma perspectiva mais completa e aprofundada sobre as questões básicas sobre a abordagem abolicionista para os direitos animais e o veganismo.
vegan-abolitionist.blogspot.com

Lobo Repórter

É um blog atualizado diariamente com notícias e comentários sobre direitos animais e veganismo. Editado e escrito pelo jornalista Lobo Pasolini, o blog está ativo desde abril de 2008. Atualmente recebe cerca de 1,500 visitas únicas por semana.
http://loboreporter.blogspot.com/

Animal Rights History

ANIMAL RIGHTS HISTORY – história do movimento de direitos, bem-estar e proteção animal, desde a antigüidade até os tempos modernos. (inglês)
animalrightshistory.org

Animal Rights Library

ANIMAL RIGHTS LIBRARY – textos de autores da antigüidade (Ovídio, Porfírio, Plutarco, Sêneca), dos séculos XVIII, XIX e início do século XX (Henry Salt, Mohandas Gandhi, John Stuart Mill, Jeremy Bentham, Albert Schweitzer, Arthur Schoppenhauer, Charles Darwin…) e contemporâneos (Peter Singer, Tom Regan, James Rachels, Gary Francione, Robert Nozick, Richard Ryder). (inglês)
www.animal-rights-library.com/index.htm

Gary Francione

GARY FRANCIONE – site e blog do filósofo e jurista norte-americano, autor dos livros ‘Animals Property and the Law’, ‘Rain Without Thunder’, ‘Introduction to Animal Rights’, defensor de uma teoria de direitos animais abolicionista baseada exclusivamente na senciência.
www.animal-law.org

Instituto Nina Rosa

INSTITUTO NINA ROSA – site do instituto de defesa animal, que produziu, entre outros, os documentários ‘A Carne é Fraca’ (mostrando a realidade da escravidão de animais não-humanos para consumo humano), ‘Não Matarás’ (questionando a experimentação animal) e ‘Fulaninho’ (sobre a questão dos animais não-humanos abandonados). (português)
www.institutoninarosa.org.br

Richard Ryder – artigo

RICHARD RYDER – artigo do filósofo e psicólogo, criador do termos ‘especismo’, ‘dorência’ e ’sofrência’, autor de ‘Victms of Science’, defensor de direitos para os animais baseando-se no princípio da dorência.
www.guardian.co.uk/uk/2005/aug/06/animalwelfare

Juliano Pozati

Quem escreveu Juliano Pozati

JULIANO POZATI É ESCRITOR, DOCUMENTARISTA E ENTUSIASTA DE NOVAS IDEIAS QUE INSPIREM A SUPERAÇÃO DE PARADIGMAS OBSOLETOS NAS ÁREAS DE CIÊNCIA, FILOSOFIA, ESPIRITUALIDADE E EXOCONSCIÊNCIA.

Mais posts de Juliano Pozati

Participe da discussão sobre esta aula 4 Comentários

  • ericaalves2 disse:

    Poxa parabéns pela postagem, meu filho de 7 anos hoje, não come carne desde que conciliou que carne a ser vivo. Me lembro que quando ele tinha entre quatro pra cinco anos ao colocar carne no prato dele e disse, ” mãe o que é carne?” Explique pra ele o que era e ele me pediu pra tirar do prato dele, pois ele não comeria um animal. Desde então apesar de insistir muito ele não comeu mais e acabou me convencendo e ao pai e a irmã a não comer tambem, hj somos todos vegetariano.

  • Eduardo disse:

    Juliano, boa noite!
    Primeiramente, obrigado e parabéns por abordar este tema que tanto estimamos, minha esposa e eu (Raquel e Eduardo). Acompanhamos seu trabalho desde o Data Limite e no meio de todo o nosso processo nos tornamos veganos, muito por acreditarmos mesmo que o mundo em que vivemos só pode ser um mundo regenerado quando não mais comermos nossos irmãos animais e respeitarmos uns aos outros enquanto seres humanos. Tivemos a satisfação de te darmos um abraço em Caraguatatuba, num congresso que teve aqui, e de poder conhecer seu filhote e sua esposa. Vamos compartilhar o texto, com certeza! Como sugestão, se nos permite, pedimos que procure no youtube vídeos do Gary Yourofsky, um dos maiores ativistas veganos. As palestras dele são muito convincentes. Até mais ver, esperamos te ver em breve no encontro do Data Limite. Abraço fraterno, paz, luz e GRATIDÃO!!

  • fernandasilveira disse:

    Juliano, obrigada por postar o link das referências. Vou dar uma olhada.
    Um ativista que gosto bastante e acompanho é o Earthling Ed (https://earthlinged.org/). Ele tem um podcast, alguns TED Talks e vários vídeos no YouTube. Outro grupo que gosto bastante é o Anonymous for the Voiceless (https://www.anonymousforthevoiceless.org/) que tem ativistas espalhados no mundo inteiro inclusive no Brasil.

Faça seu comentário abaixo!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.